Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico
Usuário
Senha

Notícias

Newsletter

Nome
Email

Ato abre trabalhos de inspeção do CNJ no TJRS

Ato abre trabalhos de inspeção do CNJ no TJRSMinistro Martins falou ao lado do Desembargador Duro e Advogado LamachiaO Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul sediou na manhã desta segunda-feira , no Auditório Ministro Pedro Soares Muñoz, o ato de abertura dos trabalhos de inspeção do Conselho Nacional do Justiça no Judiciário gaúcho. O Presidente do TJRS, Desembargador Carlos Eduardo Zietlow Duro, o Corregedor Nacional do CNJ, Ministro Humberto Martins, e o representante da OAB, Advogado Cláudio Lamachia, compuseram a mesa principal.Primeiro a se pronunciar, o Ministro Martins disse que a inspeção, feita em todos os tribunais estaduais, é um ato de rotina, que visa à melhoria da prestação jurisdicional. Conforme ele, a ideia é replicar aspectos positivos de um tribunal nos demais e ajustar eventuais deficiências no inspecionado. "Queremos que a sociedade diga que o brasileiro é o melhor Judiciário do mundo, e já estamos quase alcançando isso."O Desembargador Carlos Duro disse que o TJ trabalha para oferecer prestação jurisdicional eficiente e célere, mobilizando seus Magistrados e servidores. O Presidente observou que o tribunal opera com ¾ de sua força de trabalho, com 2.200 servidores e 190 juízes a menos que o necessário. Mesmo assim, acrescentou, há 11 anos o TJRS lidera o Relatório Justiça em Números, do CNJ, com 100% de eficiência nas áreas jurisdicional e administrativo, no 1º e 2º grau. É o único dos TJs de grande porte a obter essa marca . Presidente Carlos Eduardo Zietlow Duro destacou liderança do TJ, mesmo com déficit de pessoalO ato de abertura dos trabalhos de inspeção do CNJ contou com a presença do 2º Vice-Presidente do TJRS, Desembargador Almir Porto da Rocha Filho; do 3º Vice-Presidente, Túlio Martins; e da Corregedora-Geral da Justiça, Desembargadora Denise Oliveira Cezar.Entre outras autoridades, também prestigiaram o evento o Diretor do Foro da Comarca de Porto Alegre, Juiz de Direito Amadeo Henrique Ramella Butelli; a Presidente da AJURIS, Desembargadora Vera Deboni; e o Diretor da Escola Superior da Magistratura, Desembargador Jayme Weingartner Neto. Visitas ao 1º grau             Após o ato de abertura dos trabalhos de inspeção, o Ministro e a equipe de Magistrados e servidores do CNJ, acompanhados do Presidente do TJ e da Corregedora-Geral da Justiça, visitaram o Foro Central I e o Foro Central II . No Foro I, a comitiva do CNJ conheceu o 2º Juizado de Violência Doméstica, recepcionados pela Juíza de Direito Andréa Rezende Russo. A Corregedora Denise Cezar disse ao Ministro que o Judiciário tem projeto para instalar uma vara de júri especializada em feminicídio, dada a gravidade do problema no Estado. Corregedora Denise Cezar explicou funcionamento da Vara de Violência DomésticaA comitiva visitou a seguir a 1ª Vara Criminal, sob a responsabilidade da Juíza de Direito Vanessa Gastal de Magalhães. A conversa girou em torno da importância do sistema de videoconferência para evitar frustração de audiência e diminuir risco de fuga e atentados contra presos, agentes públicos e sociedade. O uso de videoconferência foi tema de conversa na 1ª Vara CriminalNo Foro II, as visitas foram recebidas no 2º Juizado da Infância e Juventude pelos Juízes de Direito Daniel Englert Barbosa e Tania da Rosa. Um dos assuntos foi o esforço feito para adoção de crianças de difícil colocação . Por último, foi visitado o Program, voltado a processos massificados, atendido pelo Juiz de Direito José Luiz Leal Vieira, que deve julgar dez mil processos no ano. A Juíza Corregedora Rosane Wanner da Silva Bordasch também acompanhou a visita e agregou informações ao Ministro e equipe do CNJ.  No 2º juizado da Infância e Juventude, Corregedor Nacional falou com Juízes e servidoresComitiva do CNJ visitou unidade que trabalha com processos massificados Durante a semana, o CNJ irá apurar fatos relacionados ao funcionamento dos serviços judiciais e auxiliares, havendo ou não evidências de irregularidades. A inspeção se encerrará na sexta-feira . No período, os trabalhos forenses e/ou prazos processuais não serão suspensos. Na parte da tarde, no TJRS, Corregedor fez atendimento ao público À tarde,  o Corregedor-Geral do CNJ atendeu o público,  por ordem de chegada, em uma sala no TJRS. EXPEDIENTETexto: Carlos Alberto Machado de Souza Assessora-Coordenadora de Imprensa: Adriana Arendimprensa@tjrs.jus.br Publicação em Mon Sep 09 17:39:00 BRT 2019 Esta notícia foi acessada: 55 vezes.
09/09/2019 (00:00)
Visitas no site:  41408
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia