Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico
Usuário
Senha

Notícias

Newsletter

Nome
Email

Congelamento do orçamento é inaceitável, afirma Presidente do Tribunal de Justiça

Congelamento do orçamento é inaceitável,afirma Presidente do Tribunal de Justiça"O Judiciário é um prestador de serviços, atende as mais diferentes demandas da população e deve sempre exercer sua atividade com a maior independência possível. Por isso, redução e congelamento do orçamento é algo inaceitável". A declaração é do Presidente do Tribunal de Justiça, Desembargador Carlos Eduardo Zietlow Duro, ao se pronunciar nesta noite , na abertura do XIII Congresso Estadual de Magistrados, promovido pela AJURIS.O repasse o duodécimo conforme dispõe a Constituição também foi referido pelo Presidente do TJ gaúcho: "Há necessidade prévia de ajuste entre Poderes. A não-observância é passível de correção pela via adequada, ou seja, a jurisdicional." O Desembargador abordou ainda o desvirtuamento do projeto sobre abuso de autoridade, em vias de votação pelo Congresso, com o qual se pretende a tipificação de condutas de magistrados e membros do Ministério Público. Respeito à autonomia do Judiciário e alertasobre projeto de abuso de autoridadeentre os temas abordados: "Não envergaremos""Nossos tempos são difíceis. Todos estamos cientes da gravidade do momento. Mas continuaremos desempenhando nosso trabalho em prol da sociedade. Não desistiremos. Não envergaremos."Com relação ao Congresso, falou sobre a informatização no Judiciário, projetando que em futuro próximo praticamente serão extintos os atos cartorários, e desejou vida longa à AJURIS: "Não é qualquer entidade que alcança essa idade e com tanta relevância."Evento, com a temática da Magistratura Digital,segue até sexta-feira em Porto Alegre Manifestaram-se também na abertura do evento a Presidente da Associação gdos Juízes do RS , Desembargadora Vera Deboni, e o Presidente da Assembleia Legislativa, Deputado Estadual Luís Augusto Lara.A magistrada fez um retrospecto da história da Associação e defendeu as prerrogativas da magistratura. Abordou a intenção de se criminalizar posturas, referindo-se ao projeto de abuso de autoridade, que incialmente se destinava a penalizar agentes envolvidos em casos de corrupção.Citou também a necessidade de união em prol de uma sociedade mais justa e igualitária.Mesma linha seguiu o Chefe do parlamento estadual, que defendeu a coesão, no Brasil e no RS, para superar as dificuldades do momento. Por fim, elogiou a magistratura gaúcha, "a mais eficiente do Brasil".O Congresso segue até sexta-feira, 16/8. Para mais informações, acesse:http://www.ajuris.kinghost.net/2019/05/07/xiii-congresso-estadual-de-magistrados-confira-a-programacao/ EXPEDIENTETexto: Adriana ArendAssessora-Coordenadora de Imprensa: Adriana Arendimprensa@tjrs.jus.br Publicação em Wed Aug 14 21:28:00 BRT 2019 Esta notícia foi acessada: 63 vezes.
14/08/2019 (00:00)
Visitas no site:  34827
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia